AQUI E AGORA TEM

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sugestões de Atividades - Comemoração aos 20 Anos do ECA

Justificativa: Acreditamos que o conhecimento do E.C.A revela-se, indispensável, para viabilizar uma educação protetiva inclusiva e de qualidade dentro do ambiente escolar, na consolidação de um modelo de Educação em Direitos Humanos. No momento em que, discutimos questões para a solução de problemas, decorrentes de atos infracionais no cotidiano da escola, favorecemos com essa discussão o desenvolvimento de uma temática que possibilita um exercício de cidadania e possibilita o encontro dos caminhos para o apoio necessário a diminuição dos atos infracionais. Diante do exposto precisamos, trabalhar com eficácia, pois de um lado estão os interesses dos discentes e do outro, o interesses dos docentes. Por isso precisamos estar centrados no diálogo, na confrontação de idéias, no trabalho em equipe, na reflexão e na busca de caminhos que nos levem a solução objetiva dos problemas identificados. Objetivos: •Conhecer o ECA em relação aos procedimentos legais que deve ser realizados na prática do ato infracional, como instrumento de garantia de proteção às crianças e adolescentes. •Contribuir para a formação de alunos, como agentes multiplicadores, dessa temática para a comunidade escolar. Publico Alvo: Adolescente de 12 a 17 anos, 11 meses e 29 dias Hora aulas: 3 A T I V I D A D E S O/A professor/a, como atividade inicial, deverá assistir o vídeo, com duração de 3 minutos, do Projeto Conviver com o E.C.A na Escola. 1.Após apresentação do vídeo, o/a profª/º deverá indagar aos estudantes. •Para você o que é o E.C.A? •Como você ver a aplicabilidade na Escola? •O ECA apresenta direitos e deveres iguais para as crianças e adolescentes. Por quê? •Na sua visão o que a ECA nos orienta? •O que o ECA orienta as crianças e adolescentes? 1.1 - Pegue as palavras: ATO INFRACIONAL, MEDIDAS SÓCIO-EDUCATIVAS,LIBERDADE ASSISTIDA,SEMI-LIBERDADE e INTERNAÇÃO, construa um dado. •Divida a turma em equipes de cinco estudantes; •Faça um sorteio das temáticas a serem discutidas; •Distribua com as equipes o Texto Geral : Ato Infracional; •Peça que cada equipe analise temática sorteada; •Estabeleça o tempo necessário para as equipes discutirem e elaborarem sua apresentação. 2. Estabeleça uma discussão entre as equipes e realize um painel de questionamentos entre alunos e professor/a referente ao tema “Conviver com o ECA na Escola”. •Quais as finalidades do E.C.A? •Como ele surgiu? •O que podemos fazer para que ele seja cumprido ? 3. CAIXA do ECA•Pegue uma caixa decore seus lados com figuras de crianças e adolescentes; •Coloque várias palavras do tema a ser estudado dentro; •Conte um conto/causo/história, onde possa despertar nos estudantes o desejo de estudar e conhecer melhor o ECA. •Reúna as equipes e peças aos estudantes que faça sorteio das palavras a serem estudadas; •Cada equipe deve realizar um debate e estipule o tempo; •Peça para que cada equipe escolha um expositor da temática escolhida; •Faça apresentações das equipes e finalize essa etapa; 4. Sugestões de Atividades de Consolidação das discussões realizadas: •Fazer no laboratório de informática um filme no movie maker sobre o tema estudado; •Utilizar recursos de slides, celular, e câmera fotográfica para a realização do trabalho; •Marque outro encontro para apresentação das atividades realizadas pelos alunos. 5. Avaliação: Solicite que cada estudante participante expresse o seu sentimento sobre o trabalho através de uma palavra. •Distribua papel em forma de folha para que o estudante escreva sua palavra; •Leve um tronco de árvore desenhado; •Peça aos estudantes que coloque sua folhas no tronco complementando a arvore; •Faça um comentário final sobre as palavras escritas. Use sua criatividade e a dos alunos.... Elaborado por Suely Dantas

FILME - Projeto Conviver com o ECA na Escola

video

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

SONETO DA NASCENÇA E DO DIREITO

Nasce o homem, nasce o direito. Nasce a Lei, nasce a igualdade. Nasce o Padrão de um Viver-perfeito Nasce a discórdia: a diversidade. Nasce um sonho, nasce o respeito. Nasce a fobia, nasce a crueldade. Vai tudo nascendo: conceito e preconceito Entre as algemas e a liberdade. Mas muitos nasceres; muitos nascidos: Reis nulos... palmeira sem palma Ficam entre sendas, entorpecidos Ou cegos entre infernos longe da calma! E os Direitos Humanos estabelecidos Na justiça, no homem e na alma. Antônio Moreira Barros Téc. Em Educ. Indígena

Meninos são alvo de abuso Sexual

Meninos são alvo de abuso Sexual

Meninos são alvo de abuso Sexual

Meninos são alvo de abuso Sexual

Meninos são alvo de abuso Sexual

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Discriminação e Preconceito Racial

A sociedade brasileira passa por uma crise de identidade, valores morais e éticos são deturpados em nome de vantagens pessoais e busca por melhores rentabilidades de capitais. O capital estrangeiro, dito como salvador e gerador de empregos, é pura falácia de ideologia formadora de opinião repassada ao senso comum. Assim falar de melhoria de qualidade de vida é falar em mudanças estruturais que dizem respeito a toda ordem sócio-econômica imposta à população, em especial a mais carente de recursos, emprego e renda. Falar em discriminação e preconceito é abordar estes temas sobre uma ótica mais global, ou seja, é falar também de estrutura e sistemas de ensino. É falar de equalização de renda, é falar de moradia digna, é falar de reforma agrária, é falar de saneamento básico, é falar de transporte de massa, é falar de segurança, e assim sucessivamente. Discriminação e preconceito racial dizem respeito não só a estes temas estruturais, mas também dizem respeito a políticas publicas de melhoria da qualidade de ensino, de melhoria e valorização do profissional de educação através de política salarial digna e reconhecimento do seu papel essencial no seio da sociedade, é falar em formações continuadas sérias e bem planejadas. Debater discriminação e preconceito racial nas escolas se faz urgente e necessário, mas não só isto se faz necessário também mostrar as verdadeiras causas destes preconceitos, suas raízes, sua história que perpassa pela própria formação da sociedade dividida em classes, oriundas de oligarquias incrustadas no poder há séculos e monopolizadoras dos meios de produção e comunicação, repassadoras de ideologias várias. Falar de preconceito e discriminação racial é falar de populações invisíveis aos olhos desta dita sociedade, é falar de seres humanos que vivem à margem, vivenciando toda a sorte de miserabilidade que se possa imaginar. Assim urge a necessidade de transformação, através da conscientização política das massas através do reconhecimento de suas verdadeiras mazelas e perceptoras das verdadeiras causas destas discriminações e preconceitos. Debater o tema discriminação étnico-racial nas escolas é essencial, mas sob o prisma político-ideológico, levando aos menos favorecidos e excluídos sócio-econômico-político-cultural informações precisas e mobilizadoras de saberes e percepções que possam levá-los à transformação de suas realidades. Antonio Mendes S. Filho ( Toni Mendes) Professor e Jornalista

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Pedagogia do Afeto

Pedagogia do Afeto